Imigração internacional: uma alternativa para os impactos das mudanças demográficas no Brasil?

Palavras-chave: Migração de reposição. Envelhecimento populacional. Transição Demográfica.

Resumo

A transição demográfica traz consigo inúmeras transformações na estrutura etária, sendo uma delas o envelhecimento populacional. No Brasil, estima-se que 22,6% da população terá 65 anos ou mais em 2050, cenário semelhante ao vivido atualmente pelos países desenvolvidos. Diante dessas mudanças, debatem-se os limites e potencialidades da migração como uma possível forma de amenização dessa situação. De um lado, os imigrantes podem integrar a população em idade ativa, constituindo uma parcela importante da mão-de-obra brasileira futura. Por outro lado, emerge a preocupação que o país seja capaz de absorver esses estrangeiros e que, mais tarde, esses também envelhecerão, aumentando o peso das idades mais envelhecidas. Nesse contexto, surge o termo “migração de reposição” que se refere ao processo migratório com intuito demográfico relativo à estrutura etária ou tamanho populacional. Dessa forma, para analisar o possível impacto da componente migratória sobre a estrutura etária brasileira até o ano de 2050, elaborou-se projeções demográficas a partir de distintos cenários com base no Método das Componentes Demográficas. Os cenários que objetivaram a atenuação da razão de dependência ou basearam-se em taxas líquidas de migração de países receptores de migrantes, como a Alemanha, foram os que resultaram em saldos migratórios mais razoáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helena Nobre de Oliveira, ENCE/IBGE

Mestre em População, Território e Estatísticas Públicas pela Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE)

César Augusto Marques da Silva, ENCE/IBGE

Doutor em Demografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Antonio Tadeu Ribeiro de Oliveira, IBGE

Doutorado em Demografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Referências

ALVES, J. E. D. Transição demográfica, transição da estrutura etária e envelhecimento. Revista Portal de Divulgação, ano IV, n. 40, p. 8-15, 2014.

ALVES, J. E. D.; VASCONCELOS, D. S.; CARVALHO, A. A. Estrutura etária, bônus demográfico e população economicamente ativa no Brasil: cenários de longo prazo e suas implicações para o mercado de trabalho. Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 2010 (Texto para discussão, 10).

ARANGO, J. Las migraciones internacionales em un mundo globalizado. Vanguardia Dossier, n. 22, p. 6-15, 2007.

BACCI, M. L. Breve historia de las migraciones. Traducción: Marco Aurelio Galmarini. Madrid: Alianza Editorial, 2012.

BAENINGER, R.; SILVA, J. C. J. (org.). Migrações venezuelanas. Campinas: Nepo/Unicamp, 2018.

BARBOSA, A. L. N. de H. Um retrato de duas décadas do mercado de trabalho brasileiro. In: CAMARANO, A. A. Novo regime demográfico: uma nova relação entre população e desenvolvimento? Rio de Janeiro: Ipea, 2014. p. 271-309.

BEAUJOT, R. Effect of immigration on the Canadian population: replacement migration? PSC Discussion Papers Series, v. 17, n. 3, 2003. BIJAK, J.; KUPISZEWSKA, D.; KUPISZEWSKI, M. Replacement migration revisited: simulations of the effects of selected population and labor market strategies for the aging Europe, 2002-2052. Population Research and Policy Review, v. 27, n. 3, p. 321-342, 2008.

BONGAARTS, J.; SOBOTKA, T. A demographic explanation for the recent rise in European fertility. Population and Development Review, v. 38, n. 1, p. 83-120, 2012.

BRASIL. Secretaria Nacional de Justiça. Refúgio em números. Brasília, 2017.

BRITO, F.; CARVALHO, J. A. M.; BAENINGER, R.; TURRA, C. M.; QUEIROZ, B. L. A transição demográfica e as políticas públicas no Brasil: crescimento demográfico, transição da estrutura etária e migrações internacionais. Belo Horizonte, 2007.

BRITO, F. Transição demográfica e desigualdades sociais no Brasil. Revista Brasileira de Estudos de População, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 5-26, 2008.

CAMARANO A. A. Os novos idosos brasileiros: muito além dos 60? Rio de Janeiro: Ipea. 2004

CAMARANO A. A. Como a história tratou a relação entre população e desenvolvimento econômico. In: CAMARANO, A. A. Novo regime demográfico: uma nova relação entre população e desenvolvimento? Rio de Janeiro: Ipea, 2014a. p. 43-79.

CAMARANO A. A. Perspectivas de crescimento da população brasileira e algumas implicações. In: CAMARANO, A. A. Novo regime demográfico: uma nova relação entre população e desenvolvimento? Rio de Janeiro: Ipea, 2014b. p. 177-210.

CAMARANO, A. A.; KANSO, S.; FERNANDES, D. A população brasileira e seus movimentos ao longo do século XX. In: CAMARANO, A. A. Novo regime demográfico: uma nova relação entre população e desenvolvimento? Rio de Janeiro: Ipea, 2014a. p. 177-210.

CAMARANO, A. A.; KANSO S.; FERNANDES, D. Menos jovens e mais idosos no mercado de trabalho? In: CAMARANO, A. A. Novo regime demográfico: uma nova relação entre população e desenvolvimento? Rio de Janeiro: Ipea, 2014b. p. 377-406.

CANEN, A. Currículo para o desafio à xenofobia: algumas reflexões multiculturais na educação. Conhecimento & Diversidade, v. 6, n. 11, p. 89-98, 2014.

CAMAROTA, S. A.; ZEIGLER, K. Immigrant and native fertility 2008 to 2017. Washington, DC: Center for Immigration Studies, 2019.

CARVALHO, J. A. M. de; GARCIA, R. A. O envelhecimento da população brasileira: um enfoque demográfico. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 725-733, jun. 2003.

CARVALHO, J. A. M.; BRITO, F. A demografia brasileira e o declínio da fecundidade no Brasil: contribuições, equívocos e silêncios. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 22, n. 2, p. 351-369, 2005.

CARVALHO, J. A. M.; WONG, L. R. A window of opportunity: some demographic and socio-economic implications of the rapid fertility decline in Brazil. Belo Horizonte: Cedeplar, Universidade Federal de Minas Gerais, 1995.

CARTER, M. Fertility of Mexican immigrants women in the U.S.: a closer look. Social Science Quarterly, Austin, v. 81, n. 4, p. 1074-1086, 2000.

CARVALHO, J. A. M. de; GONÇALVES, G. Q.; SILVA, L. G. de C. e. Aplicação da técnica P/F de Brass em um contexto de rápida queda da fecundidade adolescente: o caso brasileiro na primeira década do século. In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 20., 2016, Foz do Iguaçu. Anais [...]. Belo Horizonte: Associação Brasileira de Estudos Populacionais (Abep), 2016.

CARVALHO, J. A. M. de. O saldo dos fluxos migratórios internacionais no Brasil na década de 80: uma tentativa de estimação. In: PATARRA, N. L. (coord.). Emigração e imigração internacionais no Brasil contemporâneo. Campinas: FNUAP; São Paulo: Oficina Editorial, 1996. p. 227-238.

CASTANHEIRA, H. C.; KOHLER, H. P. It is lower than you think it is: recent total fertility rates in Brazil and possibly other Latin American countries. In: POPULATION ASSOCIATION OF AMERICA ANNUAL MEETING, 2016, Washington. Proceedings [...]. Silver Spring: PPA, 2016.

CEPAL. Transformaciones demográficas y su influencia en el desarrollo en América Latina y el Caribe. Santiago de Chile: Cepal, 2008. Disponível em: https://repositorio.cepal.org/handle/11362/2894.

COLEMAN, D. A. Replacement migration, or why everyone is going to have to live in Korea: a fable for our times from the United Nations. Philosophical Transactions of the Royal Society of London B: Biological Sciences, v. 357, n. 1420, p. 583-598, 2001.

ERVATTI, L. R.; BORGES, G. M.; JARDIM, A. P. Mudança demográfica no Brasil no início do século XXI: subsídios para as projeções da população. Rio de Janeiro: IBGE, 2015.

FÍGOLI, M. G. B.; WONG, L. R. El camino hacia la estabilización demográfica y el proceso de envejecimiento en América Latina: una ilustración a partir de algunos países seleccionados. Papeles de Población, Toluca, v. 9, n. 35, p. 31-45, ene./mar. 2003.

GOLDBERG, D. Another look at the Indianapolis fertility data. Milbank Memorial Fund Quarterly, v. 38, n. 1, p. 23-36, 1960.

GOLDSTEIN, S. Interrelations between migration and fertility in Thailand. Demography, v.10, n. 2, p. 225-241, 1973.

HERVITZ, H. M. Selectivity, adaptation, or disruption? A comparison of alternative hypotheses on the effects of migration on fertility: the case of Brazil. International Migration Review, v. 19, n. 2, p. 293-317, 1985.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeções da população: Brasil e Unidades da Federação. Rio de Janeiro: IBGE, 2013.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeções da população: Brasil e Unidades da Federação. Rio de Janeiro: IBGE, 2018.

IOTTI, L. H. A política imigratória brasileira e sua legislação: 1822-1914. In: X ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA. Anais [...]. Santa Maria, Rio Grande do Sul: Universidade Federal de Santa Maria, 2010.

KAHN, J. Immigrant and native fertility during the 1980s: adaptation and expectations for the future. International Migration Review, Staten Island, v. 28, n. 3, p.501-519, Autumn 1994.

KULU, H. Migration and fertility: competing hypotheses re-examined. European Journal of Population, v. 21, n. 1, p. 51-87, 2005.

LEE, R. D. The formal demography of population ageing, transfers, and the economic life cycle. In: MARTIN, L. G.; PRESTON, S. H. (ed.). Demography of ageing. Washington, DC: National Academy Press, 1994. p. 8-49.

LEVY, M. S. F. O papel da migração internacional na evolução da população brasileira (1872 a 1972). Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 8, supl., p. 49-90, 1972.

MACISCO, J. J.; BOUVIER, L. F. R.; WELLER, H. The effect of labor force participation on the relation between migration status and fertility in San Juan, Puerto Rico. Milbank Memorial Fund Quarterly, v. 48, n. 1, p. 51-70, 1970.

MARTES, A. C. B. Emigração brasileira: formação de mercados de consumo de produtos brasileiros no exterior. Revista de Administração de Empresas, v. 8 n. 1 p. 8-12, 2001.

MARTINE, G. A globalização inacabada: migrações internacionais e pobreza no século 21. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 19, n. 3, p. 3-22, 2005.

MAYER, J.; RIPHAHN, R. T. Fertility assimilation of immigrants: evidence from count data models. Bonn: Institute for the Study of Labor (IZA), 1999 (IZA Discussion Papers, n. 52).

MCKEOWN, T. Fertility, mortality and causes of death. An explanation of issues related to modern rise of population. Population Studies, v. 32, n. 3, p. 535-542, 1978. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/2173726.

MEYERSON, F. A. Replacement migration: a questionable tactic for delaying the inevitable effects of fertility transition. Population & Environment, v. 22, n. 4, p. 401-409, 2001.

NAÇÕES UNIDAS. Métodos para preparar projeções de população por sexo e idade – Manual III. Rio de Janeiro: IBGE, 1978.

NOTESTEIN, F. Population: the long view. In: SCHULTZ, T. W. Food for the world. Chicago: Universit of Chicago Press, 1945.

OLIVEIRA, F. B.; BELTRÃO, K. I.; PINHEIRO, S. S.; PEYNEAU, F. P. L.; MENDONÇA, J. L. O. O idoso e a previdência social. In: CAMARANO, A. A. (org.). Os novos idosos brasileiros: muito além dos 60? Rio de Janeiro: Ipea, 2005. p. 411-426.

OLIVEIRA, A. T. Um panorama da migração internacional a partir do Censo Demográfico de 2010. REMHU – Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, v. 21, n. 40, p. 195-210, 2013.

OLIVEIRA, A. T. R. Fluxos migratórios recentes no Brasil: o cenário pós-2008. In: OLIVEIRA, A. T. R. (org.). Fluxos migratórios no Brasil: movimentos internos e internacionais. Mauritius: Novas Edições Acadêmicas, 2017. p.64-76.

OLIVEIRA, A. T. R. Transição demográfica e migrações internacionais: o Brasil na rota dos países desenvolvidos? Plataforma Política Social, 2014 (Texto para discussão, n. 2).

OLIVEIRA, A. T. R. Migrações internacionais e políticas migratórias no Brasil. Cadernos OBMigra – Revista Migrações Internacionais, v. 1, n. 3, p. 252-278, 2015a.

OLIVEIRA, A. T. R. O perfil geral dos imigrantes no Brasil a partir dos censos demográficos 2000 e 2010. Cadernos OBMigra – Revista Migrações Internacionais, v. 1, n. 2, p. 48-73, 2015b.

OLIVEIRA, A. T. R. de et al. Notas sobre a migração internacional no Brasil na década de 80. In: PATARRA, N. L. (coord.). Emigração e imigração internacionais no Brasil contemporâneo. Campinas: FNUAP; São Paulo: Oficina Editorial, 1996. p. 227-238.

ONU. STATISTICAL OFFICE. Standard country or area codes for statistical use. New York: United Nations, 1982.

ONU. Replacement migration: is it a solution to declining and agein populations? New York: United Nations, 2001.

ONU. International migration report 2013. New York: United Nations, 2013.

ONU. World population prospects: The 2015 revision, custom data acquired via website, 2015.

PAGE, A.; BEGG, S.; TAYLOR, R.; LOPEZ, A. D. Global comparative assessments of life expectancy: the impact of migration with reference to Australia. Bull World Health Organ, v. 85, n. 6, p. 74-81, 2007.

PATARRA, N. L. Migrações internacionais de e para o Brasil contemporâneo – volumes, fluxos, significados e políticas. São Paulo em Perspectiva, v. 19, n. 3, p. 23-33, 2005.

PATARRA, N. L.; FERNANDES, D. Brasil: país de imigração? Revista Internacional em Língua Portuguesa – Migrações, v. 3, n. 24, p. 65-96, 2011.

PEREIMA, J. B.; PORSSE, A. Transição demográfica, acumulação de capital e progresso tecnológico: desafios para o crescimento brasileiro. Revista Economia & Tecnologia, v. 9, n. 1, p. 49-60, 2013.

PRESTON, S.; HEUVELINE, P.; GUILLOT, M. Population projection. In: PRESTON, S.; HEUVELINE, P.; GUILLOT, M. Demography: measuring and modeling population processes. Oxford: WilleyBlackwell, 2001.

REUS-PONS, M.; KIBELE, E. U. B.; JANSSEN, F. Differences in healthy life expectancy between older migrants and non-migrants in three European countries over time. International Journal of Public Health, v. 62, n. 5, p. 531-540, 2017.

ROSA, M. J. V. Imigração e envelhecimento: ligações perigosas. Revista Migrações, n. 10, p. 183-184, 2012.

RUEDIGER, M. A. Análise e avaliação do desenvolvimento institucional da política de imigração no Brasil para o século XXI. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2015.

Publicado
2019-09-10
Como Citar
de Oliveira, H. N., da Silva, C. A. M., & de Oliveira, A. T. R. (2019). Imigração internacional: uma alternativa para os impactos das mudanças demográficas no Brasil?. Revista Brasileira De Estudos De População, 36, 1-31. https://doi.org/10.20947/S0102-3098a0076
Seção
Artigos originais