AIDS: a vulnerabilidade social e a evolução da epidemia nos municípios das regiões Nordeste e Sudeste do Brasil

  • Lára de Melo Barbosa UFRN
  • Diana Oya Sawyer Cedeplar/UFMG
Palavras-chave: Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, HIV, AIDS, Condições Sociais, Vulnerabilidade

Resumo

A epidemia da AIDS no Brasil é um somatório de subepidemias microrregionais em interação e em paralelo. Atinge quase toda a malha municipal brasileira, com profundas transformações no seu perfil, afetando cada vez mais as populações mais vulneráveis. Neste artigo, identificou-se agrupamentos populacionais no Nordeste e Sudeste de acordo com seus níveis de vulnerabilidades sociais à AIDS, por meio do método Grade of Membership (GoM), analisando-se também os padrões espaciais de disseminação da doença ao longo do tempo. Os resultados apontam amplas diferenciações regionais, registrando uma vulnerabilidade mais baixa no Sudeste que no Nordeste, onde existem também bolsões de menor vulnerabilidade, constituídos, principalmente, pelas capitais estaduais. No Nordeste foi observada expressiva expansão espacial da AIDS, evidenciando uma situação de elevado risco de infecção na região. Assim, na ausência de estratégias de prevenção dos riscos de infecção pelo HIV e de transformação na estrutura social, os municípios nordestinos podem se constituir, no futuro, em importantes focos epidêmicos de AIDS.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-09-24
Como Citar
Barbosa, L. de M., & Sawyer, D. O. (2013). AIDS: a vulnerabilidade social e a evolução da epidemia nos municípios das regiões Nordeste e Sudeste do Brasil. Revista Brasileira De Estudos De População, 20(2), 241-257. Recuperado de https://www.rebep.org.br/revista/article/view/295
Seção
Artigos originais